Escrever para crianças

 

Crianças…. Sim, escrever para elas é uma verdadeira arte. Que o digam os excelentes autores brasileiros que se dedicam à literatura infantil há décadas. Não vou citar nomes, pois sem querer poderia cometer injustiças.

 

Escrever para crianças requer mil cuidados, pois qualquer pequeno escorregão é fatal, qualquer informação errada, qualquer frase dúbia pode gerar grandes problemas. Por essas razões e muitas outras, um autor consagrado nessa área é respeitadíssimo aonde quer que vá. Sim, porque escrever para crianças significa compreender perfeitamente a sua lógica, o seu mundo pessoal e a sua realidade — o que costumamos esquecer e deixar pra trás assim que nos tornamos adolescentes.

 

 

Pois nós, brasileiros, muito podemos nos honrar com a vitória de duas de nossas grandes escritoras, ambas agraciadas com o Prêmio Hans Christian Andersen (que equivale ao Nobel de Literatura, mas para a literatura infanto-juvenil): Lygia Bojunga Nunes e Ana Maria Machado. A elas a minha homenagem particular, sempre.

 

 

Nunca tive muito talento para a literatura infantil, e até hoje só me arrisquei a escrever para crianças uma vez. O livro ainda não tem editor, apesar de ter ficado muito bonitinho. A história é engraçadinha, ecológica e singela, adorei tê-lo escrito, mas ainda não tentei repetir a dose. Talvez este não seja mesmo o meu maior talento, mas admiro muito àqueles que conseguem, através da mágica das palavras, atingir os corações infantis.