Livro virtual / E-books

Recentemente, e de repente… Não mais que de repente… Surgiu essa novidade que se chama “livro eletrônico”. E o mundo inteiro se viu diante da possibilidade real de ler sem que o papel seja necessário. Coisa mais estranha, pensaram alguns… Afinal, desde que o homem inventou o papiro, a palavra escrita tornou-se parte integrante e inseparável da sociedade humana.

Mas a modernidade trouxe o livro eletrônico e revolucionou de vez tudo isso! Hoje, porém, ainda estamos nas primeiras etapas e dando os primeiros passos nessa direção. No Brasil, tudo ainda é novidade, e por mais que as empresas que produzem educação e cultura estejam se voltando para o livro virtual, ainda há um longo caminho a percorrer. Na verdade, o acesso ao e-book ainda está restrito a um grupo pequeno — se comparado ao universo composto pelos que leem. E se pensarmos que o consumo de livros tradicionais no Brasil ainda é muito baixo, com relação aos e-books existem outras dificuldades que se somam: a falta de hábito de leitura, a falta de acesso massivo à internet e a falta de conhecimento básico sobre os diferentes recursos eletrônicos. Em outras palavras, muita gente não tem sequer um micro em casa, muito menos um tablet. E mesmo aqueles que usam o computador com regularidade, muitas vezes não sabem lançar mão de seus infinitos recursos disponíveis.

Mas é claro que, na minha opinião, nada disso é obstáculo para o avanço do livro eletrônico. Ao contrário, poderá ser um grande incentivo, pois muita gente que não tem hábito de ler um livro impresso poderá começar a ler os e-books, ainda que movido pela curiosidade de conhecer um tablet. As novas gerações, diga-se de passagem, já estão nascendo com as mãos prontas para as telas de cristal líquido!

E, sinceramente, também não acho que os livros impressos vão desaparecer. Não acho mesmo! Pelo menos, não nas próximas décadas. Creio que os e-books vão encontrar seu próprio espaço e seu próprio público, no Brasil e no mundo inteiro. Os livros impressos idem. E o mercado se reacomodará daqui a algum tempo, pois todos serão grandemente beneficiados, não só o público leitor! Os autores, por sua vez, terão muitas novas possibilidades e liberdade para, se for o caso, produzirem os próprios livros — se assim o desejarem. O livro eletrônico, inclusive, traz novas possibilidades para todos: leitores, autores, editores, livreiros, professores…

Então, que o nosso novo “papiro” esteja pronto para uma longa (e ágil) jornada!